quarta-feira, 11 de novembro de 2009

DOIDO


Se você der uma chance

A um doido sem visão

Certifique-se de que isso não

Vai ter revanche

É rei morto pelo cortesão

Ele lhe destrói e diz

Que você nunca

Lhe estendeu a mão

LOBO


É a maneira agressiva
Como você expõe suas idéias
Parece bicho irracional
Lobo chefe de alcatéia
E a gente que pensa
De forma racional
Observando a lógica
Do labor profissional
Antes de ficar
Chateado com você
Vê o serviço atrasar
Se queima
Sem o resultado aparecer

VOCÊS PSICOPATAS


Vocês psicopatas
São absurdos
Não dá para acreditar
Nesses olhos de amor vitimados
Quando vocês se humilham
Não é mesmo verdade
É sempre um jogo
Para fazer valer suas vontades
O amor é falso
O sofrimento é falso
São vampiros
Bicheira no lombo
Parasitas, assombro
Não se pode ter pena
Tem que abrir mão do coração
Fazer de conta que entende
E cair fora pela tangente
Nunca diga a um louco
Que vai abandoná-lo
Saia de fininho
E busque enquadrá-lo
Depois dele
Quebrar toda sua casa
Colocar seus amigos para fora
Decidir seus amores, ameaçá-los
Ele não merece mais que seu descaso
Mesmo que você nunca o esqueça
Ou deixe de amá-lo
Na verdade
Eles são perfeitos
Mas cheios de defeitos
Sensíveis, adoráveis, insuportáveis

I

A beleza de meus poemas está

Em falar o que é comum ocultar

II

Raios de luz sem você

Raios de luz pra você

III

Quando você aprender a pensar

Sem se impor sem premeditar

Ninguém vai lhe superar

IV

Parabéns pra nós

Um ano vivendo a sós

V

As agonias emocionais

Transformam meus medos

Em seres reais

E a raiva gritante destrói

Dois anos de paz

VI

Estou tão louco

Que não consigo me concentrar

Procuro restos de fuga

Pelo chão da cozinha do quarto do carro

Esqueço de mim por todo o lado

SE É PARA FALAR DE MORTE


Se é para falar de morte
Veja minha tristeza ao lhe perder
Você que traz humilhação e vida
Dicotomia, paradoxo, antítese, agonia
Ótima quando boa abrasadora quando péssima
Desculpa mas minha juventude já passou
Há muito e antes de você que meu saco já furou
O que fazer se não espero e só eu me desespero
Quero trocar as botas as portas as comportas
Senhor meu pai me faz encontrar o caminho sozinho
Cadê meu tantra, o mantra que o mal espanta
Ainda estou nesses percalços descalço
Já era hora de sair da linha do abismo
O que faço para parar de correr perigo
Sem você por perto tudo é deserto
Mas sem você aqui deserdo não presto
Pra me buscar tenho que lhe enviar
Às raias da solidão sofrida, à luz da vida
Vou eu buscar equilíbrio na solidão fecunda
E a humildade com responsabilidade
Vai lhe resgatar imunda e vagabunda

DEPUTADO SEXTAFEIRA FALOU NESTA QUARTA, 11/11, EM VÍDEO PARTIDÁRIO SOBRE SUAS AÇÕES COMO DEPUTADO. CONFIRA.

video

GAZETA WEB ENGANA-SE AO AFIRMAR QUE KÁTIA TOMOU BANHO NO SALGADINHO

Em matéria publicada nesta quarta-feira,11, na Gazetaweb.com intitulada "Prefeito diz a ministro que vai despoluir o Salgadinho", ainda no primeiro parágrafo, o(a) repórter diz que: "A promessa ( de despoluição) já foi feita pela ex-prefeita Kátia Born (PSB), que chegou a tomar banho no riacho, ainda poluído". Isso é engano.

Como leitor, mandei três comentários que não foram publicados, acredito que após a análise do moderador, discordando da informação. Neles eu disse que havia enganos na matéria:

1- Katia não tomou banho no Salgadinho e sim na Praia da Avenida.

2- Segundo dados de balneabilidade da época, acredito que emitidos pelo IMA, a praia, naquele momento, estava própria para banho. O sistema implantado por Katia era para que em período de estiagem os dejetos não desaguassem no mar. Por conta disso a praia ficava própria para banho, dentro dos limites preconizados pela Organização Mundial de Saúde. E ela deixou esse sistema funcionando. Se hoje ainda funciona, eu não sei mas na época dela, sim.

Apelei para a ética e para o bom jornalismo afinal é dever do jornalista trabalhar com a verdade. Principalmente sendo este meio de comunicação uma das artérias da Organização Arnon de Mello, um ícone do jornalismo alagoano. Como não tive respaldo lá, publico aqui.